Este site usa cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website concorda com o seu uso. Para saber mais, leia a nossa Política de Cookies.

Sábado    por    Cofina Boost Solutions

Partilhe nas Redes Sociais

Palbit: a tecnologia ao serviço do cliente

Vista aérea das instalações da Palbit

Notícias

Palbit: a tecnologia ao serviço do cliente

Uma empresa com 105 anos, que continua a apresentar soluções tecnologicamente avançadas e a procurar opções ambientalmente sustentáveis, assim como novas ideias, criativas e competitivas.

Ao longo dos últimos 100 anos, a Palbit tem contribuído para a inovação e evolução do setor industrial em que se insere, desenvolvendo novas ferramentas tecnologicamente avançadas, com o objetivo de aumentar a performance produtiva dos seus clientes. O foco neste objetivo, acompanhado por investimentos em recursos humanos, tecnologia de ponta e infraestruturas, tem permitido a esta empresa centenária manter-se como uma referência na sua área.

“Temos um grande portefólio de soluções em ferramentas de alta precisão em metal duro e ultraduro, o que nos torna um fornecedor altamente competitivo em várias indústrias”, esclarece Jorge Ferreira, CEO da Palbit. Acrescenta ainda que a elevada qualidade, a resistência e o avanço tecnológico são os seus fatores diferenciadores. Destaca as soluções de ferramentas de fresagem integrais e indexáveis, bem como as soluções para operações de torneamento.

Da ideia à produção

Fundada em 1916, como produtora de ferramentas de metal duro, continua a assegurar a totalidade do processo. Da conceção ao produto final, tudo é desenvolvido ali, apoiado pelo seu centro tecnológico, que permite que os clientes possam testar a aplicação das soluções, de forma a obter os melhores resultados. Os desafios para o futuro colocam-se, precisamente, no aumentar a capacidade produtiva e na possibilidade em penetrar em novos mercados, pelo que estão a investir em novos equipamentos industriais e novas infraestruturas. “Acompanhamos pormenorizadamente a evolução dos mercados, o que nos permite ir adaptando a nossa estratégia. Queremos continuar a crescer e, para que isso seja possível, vamos continuar a investir”, sublinha Jorge Ferreira.

Dois dos projetos que se encontram presentemente a desenvolver são o DHardTools e o EcoRods. O primeiropretende criar ferramentas de metal duro com revestimentos de diamante funcionais, para micromaquinagem de materiais ultraduros. O segundo, EcoRods, pretende ser uma solução para a valorização de excedentes de pós, através da produção de um bimaterial. Com esta solução visam alcançar “um produto ecologicamente mais viável, aliado a um gradiente de propriedades mecânicas e estabilidade térmica, que potenciará a performance e durabilidade das ferramentas de corte”, continua Jorge Ferreira. Este é, assim, um excelente exemplo não só de como introduzir o conceito de economia circular no mundo industrial – ao usar um excedente –, como de sustentabilidade ambiental, pois, conforme explica o CEO da Palbit, para o processamento dos cilindros de bimaterial a composição original é obtida através das etapas de moagem e atomização em meio aquoso, que são ambientalmente sustentáveis. De qualquer forma, a preocupação com o ambiente não é de agora: têm instalados painéis fotovoltaicos, fazem a gestão dos excedentes, reutilizando-os e reciclando-os sempre que possível e estão a fazer a transição das embalagens de plástico para embalagens em cartão, de forma a reduzir a utilização de plástico ao mínimo possível. Apostam, ainda, na formação dos colaboradores sobre o impacto das suas ações no ecossistema.

Mas as novidades não se ficam pelos dois projetos referidos. Com três áreas de negócio (ferramentas de corte, peças de antidesgaste e ferramentas para tratamento da pedra), são capazes de criar soluções standard e soluções customizadas para resolver problemas. “Em média, lançamos uma ferramenta nova por dia”, garante Fausto Frade, diretor de Marketing da Palbit, referindo ainda a obediência à norma ISO 9001:2015 e NP 4457:2007, que certifica o processo de produção.

Planos para o futuro

Na Palbit, o discurso é otimista. Acreditam que é possível ser competitivo no mercado global cumprindo as metas europeias de sustentabilidade, embora este período pandémico tenha levado a rever a sua estratégia, reforçando a presença digital, nomeadamente na plataforma online de vendas.

Será esta capacidade de resolver os obstáculos que se apresentam e de antecipar os desafios que irá continuar a ditar o sucesso da empresa. “A marca Palbit é hoje uma referência mundial de qualidade e performance na área da metalomecânica, nomeadamente no setor das ferramentas de corte de alta precisão. Os fundos europeus foram fundamentais para alicerçar a nossa estratégia de internacionalização e para reforçar a nossa estratégia comercial e de marketing. Estes fundos permitem à nossa empresa investir nas mais avançadas ferramentas digitais e reforçar a nossa presença em exibições e certames internacionais, promovendo as nossas ferramentas em todo o mundo. Com estes instrumentos financeiros continuamos a ambicionar crescer e elevar o ‘Made in Portugal’ o mais longe possível”, conclui Fausto Frade.

Factos e números

Ano da fundação: 1916
Localização da sede: Palhal, Branca, Albergaria-a-Velha
Fábricas: 1, em Portugal
Principais clientes: indústria metalomecânica
Presença direta em quantos países: 90
Principais mercados/países de exportação: Europa e Ásia
N.º de empregados: 200