Este site usa cookies para melhorar a navegação. Ao navegar no website concorda com o seu uso. Para saber mais, leia a nossa Política de Cookies.

Sábado    por    Cofina Boost Solutions

Partilhe nas Redes Sociais

Inovação farmacêutica com base em Portugal

António Portela, CEO da Bial

Notícias

Inovação farmacêutica com base em Portugal

Com quase 100 anos de existência e focada na inovação e no desenvolvimento de novos medicamentos, a Bial é a única farmacêutica portuguesa com produtos de investigação própria no mercado.

A empresa farmacêutica Bial foi fundada em 1924 por Álvaro Portela. No final da década de 70, sob a liderança do seu neto Luís Portela, foi delineada uma estratégia de desenvolvimento a longo prazo assente em três eixos estratégicos: qualidade, inovação e internacionalização. Vinte anos depois, com apenas três pessoas, lançou as bases da Bial que conhecemos atualmente, com a criação do Departamento de Investigação e Desenvolvimento da empresa. Atualmente, a Bial conta com dois centros de I&D (na Trofa e nos EUA), 10 filiais espalhadas pelo mundo e produtos em mais de 50 países.

Há dois momentos particularmente importantes que marcam este período de desenvolvimento da empresa: o surgimento do primeiro medicamento de patente portuguesa para o tratamento da epilepsia, em 2009; e o lançamento, em 2016, do segundo medicamento Bial, para a doença de Parkinson. Ambos estão disponíveis em diversos países na Europa e nos Estados Unidos, e o segundo também é comercializado no Japão.

Consistência e ambição

Na sequência do que tem vindo a ser o seu percurso, a Bial mantém um ambicioso programa de investigação e desenvolvimento: “Alocamos, em média, mais de 20% da faturação anual à I&D, centrada nas neurociências e doenças cardiovasculares”, explica António Portela, CEO da Bial. “Em outubro de 2020, anunciámos a constituição de uma filial nos Estados Unidos da América, a Bial Biotech, que é um centro de investigação focado no desenvolvimento de terapias para mutações genéticas associadas à doença de Parkinson. Este centro está localizado em Cambridge, nos arredores da cidade de Boston, no que é considerado um ‘hub’ mundial de investigação nas áreas da saúde e da biotecnologia”, continua. Na mesma altura, foi anunciada a aquisição dos direitos dos programas de investigação na doença de Parkinson de uma empresa norte-americana, o que possibilitou o alargamento do seu pipeline, nomeadamente com a integração de compostos da área das neurociências já em fase de desenvolvimento clínico. Para já, são 170 pessoas, de 20 nacionalidades diferentes, totalmente dedicadas à investigação e entrega de medicamentos inovadores. Paralelamente, está em andamento a ampliação da atual unidade produtiva e a construção de uma nova fábrica de antibióticos na Trofa, depois de em 2020 terem ampliado a área do seu campus de 12 para 24 hectares. “Com estes investimentos reforçamos de forma significativa a nossa capacidade industrial, a par da modernização de algumas áreas. Este projeto reflete o nosso crescimento sustentado, sendo Portugal a base da capacidade produtiva do grupo para os diferentes mercados onde tem operações”, afirma o CEO.

Visão estratégica

António Portela lembra que, “nos últimos 30 anos, foi feito um caminho extraordinário na investigação em Portugal e no investimento em conhecimento, desenvolvendo centros de investigação, laboratórios, cientistas e investigadores. Hoje temos um conjunto de empresas e de start-ups na área da saúde que estão a trazer ao mercado novos produtos e serviços.”

A Bial é um desses exemplos, já que é um dos maiores investidores em investigação e desenvolvimento na indústria farmacêutica portuguesa. O CEO da empresa acrescenta, porém, que “podemos e devemos fazer mais, continuando a apostar em força numa política voltada para a inovação e industrialização, procurando capitalizar a qualidade dos recursos humanos que temos cá dentro e lá fora, para criar valor para o país”.

Reforça ainda que este é o caminho que pretendem continuar a seguir: “O grande desafio será continuarmos a disponibilizar medicamentos inovadores. Continuarmos a desenvolver medicamentos para poderem ser comercializados à escala mundial, a desenvolver tecnologia inovadora, que será exportada e que terá impacto na saúde. Atualmente a Bial conta com dois centros de I&D e milhões de pessoas.”


Factos e números

Ano da fundação: 1924
Localização da sede: Trofa
Fábrica: localizada nas instalações da Trofa
Quantidade de produção/ano:
- Cerca de 14.000.000 embalagens de medicamentos
- Cerca de 1.500.000 embalagens de antibióticos
- 350.000.000 comprimidos/cápsulas
Volume de negócios em 2020: > € 340 M
Vendas nos mercados internacionais: cerca de 80% da faturação
Filiais em 10 países: Espanha, Alemanha, Reino Unido, Itália, Suíça, EUA, Angola, Costa do Marfim, Moçambique e Panamá.
Vendas de produtos BIAL: em mais de 50 países.
Principais mercados/países de exportação: EUA e Espanha
N.º de empregados: cerca de 1000